Fevereiro… não corras

Eu nem vou justificar o facto de estar a fazer um post destes. Quer dizer… já me conhecem.

Fevereiro é mês de…

  • irem a uma loja solidária comprar peluches do Dia dos Namorados por 1€ ou menos… lavem com um bocadinho de lixívia para roupa de cor e têm um presente sazonal; o mais provável é ele voltar para lá; também têm louças em forma de coração e essas coisas “I Love You”
  • irem aos grupos de doações pedir uma fantasia de Carnaval ou irem comprar uma a uma loja solidária (há lojas abertas aos sábados e têm sempre fantasias nesta altura)
  • irem ao Pinterest para ideias sobre como fazer uma fantasia com o que têm em casa. A Patrícia Reis é conhecida pelas suas fantasias DIY (a de pirata é simplesmente genial).

Como não ligo a nenhuma das datas, poupo dinheiro e trabalho. 🙂

2 thoughts on “Fevereiro… não corras”

  1. Susana Alves

    Boa tarde Cristina,
    Também não ligo a Carnaval nem dia dos namorados. Não quer dizer que não partilhe uma tablete de chocolate no sofá com o marido e não lhe dê uma dose reforçada de beijos, mas para isso não é preciso ser dia dos namorados…..e entrar em despesas….
    Cá em casa Fevereiro é altura de rever e categorizar as despesas de Janeiro, e orçamentar o mês de Fevereiro ( fazer o budget). Os japoneses usam o Kakebo ( “livro que ensina a poupar”) ,eu como sou forreta, em vez de comprar um Kakebo e tomar anotações nele, uso um caderninho onde vou escrevo em cada dia o que gastei, e pinto a fluorescente por categorias ( azul para gasóleo, amarelo para supermercado, verde para poupança, etc). Anotar tudo e verificar em que percentagem foi dispendido o dinheiro do mês. Verificar se é preciso ajustes.
    Fevereiro é também altura de planear sementeiras, ver o que vai plantar na Primavera, adubar a terra nos vasos ou na horta com os nossos restos de casa ; os dias estão a ficar maiores e isso traz uma energia renovada:) o hobby da horta é fantástico…..
    Abraço

    1. Que boas ideias, Susana!
      Eu também quero ver se ponho em ordem o meu jardim, que infelizmente está reduzido a vasos.
      Ainda assim, ainda ontem carreguei uma palete com outras partes de madeira (eu só precisava das réguas, mas tinha a quem dar a madeira) para casa (não tive tempo para fotos), porque queria fazer um pequeno resguardo, para que os vasos mais pequenos não voem com o vento.
      Um familiar fez-me um resguardo muito giro e ficou com o resto da madeira. 🙂

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *