poupar com produtos de limpeza

Removedor de bolores e fungos UHU

Depois do meu post de ontem, inúmeras pessoas me recomendaram um produto da UHU. Eu já tinha experimentado um, há muitos anos, em juntas de azulejos e confesso que não fiquei impressionada, mas…

por via das dúvidas, já encomendei.

Se resultar como me anunciaram, evito uma pintura e apenas por isso já valeria o preço.

 

Já experimentaram?

Que tipo de experiência tiveram?

 

1 (7).jpg

2 (1).JPG

 

 

https://descontos.blogs.sapo.pt/4045774.html

Limpar bolor de tectos com gel sanitário

A dica não é minha, mas da Assunto Arrumado no Instagram. Por acaso (a vida tem destas coisas), descobriu que o gel sanitário do Aldi era excelente para limpar manchas de bolor nos tectos.

IMG_20210316_195107_051 (1).jpg

Eu, que tenho o tecto do meu corredor e da casa de banho numa miséria, fui logo buscar um frasco para experimentar. Ainda por cima, não seria preciso esfregar, bastando aplicar e aguardar que fizesse efeito.

IMG_20210316_195032_789 (3).jpg

 

RESULTA.

A foto não é das melhores, mas  penso que ilustra os bons resultados. Tentei fotografar a diferença no tecto, mas não consegui se se visse bem na foto.

 

Não resolveu numa zona com manchas mais profundas, mas na generalidade, parece-me funcionar bastante bem.

 

E até testei em portadas de madeira brancas e as manchas de bolor desapareceram.

 

Para mim, existe um bónus acrescido que é o facto de ser um gel e por isso não pingar tudo por cima de mobília, como acontecia, quando usava água com lixívia ou com água oxigenada.

 

https://descontos.blogs.sapo.pt/4043116.html

Detergentes caseiros para limpeza (republicação)

 

Antes de mais, advirto que não tenho conhecimentos de química. Estes são os produtos que EU utilizo, depois de tomar uma decisão que considerei ser suficientemente informada. 

 

Como já referi em ocasiões anteriores, eu preciso da “ciência” por detrás destas formulas que circulam na internet e por isso procurei estudos publicados em revistas científicas.

Aqui ficam as minhas conclusões, sobre o que li:

 

Vinagre e sumo de limão

As propriedades antimicrobianas do vinagre (maiores neste) e sumo de limão são associadas com o seu teor de ácido cítrico e ácido acético, respectivamente. As utilizações com água quente aumentam as suas propriedades antimicrobianas.

Não se devem misturar com lixívia devido ao risco de gazes tóxicos.

 

Bicarbonato de sódio

Tem propriedades antifungicidas, associadas ao que pode ou não florescer num PH baixo. Há um estudo que aponta como um ingrediente possível para a limpeza de superfícies na cozinha.

É excelente para amolecer produtos queimados em tachos.

 

Panos microfibras

Não possuem propriedades antimicrobianas, mas são eficazes na limpeza. Porém, há que ter cuidado para não contaminar (panos sujos não limpam, sujam). Há cuidados a ter com a sua lavagem: por exemplo, não utilizar amaciadores da roupa ou lixívia.

As microfibras são um problema ambiental:

– ao lavarmos os panos, estamos a libertar microfibras(microplásticos) para os oceanos;

– quase todos são não biodegradáveis.

 

Álcool

Ainda estou a estudar este ingrediente: por um lado tem propriedades antimicrobianas, por outro, são limitadas e de curta duração. Porém, é bom em gorduras e o facto de evaporar, ajuda na secagem.

 

Água oxigenada

É a melhor a limpar germes, um excelente fungicida, mas não é um ingrediente “estável” para ser utilizado em diferentes embalagens (por exemplo um vaporizador).

Não encontrei informações informações sobre a segurança deste ingrediente para superfícies delicadas embora, pessoalmente, não tenha problemas em utilizá-la em cerâmicas, louças sanitárias e até na limpeza de bolor em paredes e tectos (diluída em água). Os fabricantes recomendam-na como agente de limpeza de tecidos. 

Não encontrei informações sobre a proporção ideal de diluição, para que não perca a sua eficácia.

Basicamente, neste momento, penso na água oxigenada como uma espécie de lixívia, mas não utilizo nas pedras ou madeiras.

Se, por exemplo, estiver a cortar carnes cruas, depois lavo a banca (inox) com água oxigenada ou lixívia.

 

 

Sugestões de leitura:

Effectiveness of Alternative Antimicrobial Agents for Disinfection of Hard Surfaces

Hard surface cleaning performance of six alternative household cleaners under laboratory conditions

Functional Properties of Vinegar (acesso limitado)

The effectiveness of three home products in cleaning and disinfection of Staphylococcus aureus and Escherichia coli on home environmental surfaces (acesso limitado)

Efficacy of antimicrobials for the disinfection of pathogen contaminated green bell pepper and of consumer cleaning methods for the decontamination of knives (acesso limitado)

 

 

DETERGENTE PARA GRANITO E MÁRMORE (e outras superfícies mais delicadas)

1/4 copo de álcool

1/2 L de água

1 c.(chá) de líquido da louça

 

Vi esta receita na internet, mas confesso que agora não encontro a minha fonte (encontrei dezenas de páginas com o mesmo). 

Basicamente é o detergente que utilizo em superfícies que em que não convém utilizar produtos corrosivos/ácidos, como é o balcão da cozinha em granito e o tampo do lavatório, em mármore, da casa de banho. 

O álcool (ou vodka) serve como agente desinfectante e o líquido da louça serve como desengordurante. 

 

Na cozinha, utilizo em quase todas as superfícies, desde o laminado, à madeira, e ao inox.

 

DETERGENTE PARA O CHÃO DE CERÂMICA (sem lixívia)

Meio balde de água

vinagre de limpeza (+- o equivalente a duas chávena de café)

detergente da louça (+- o equivalente a uma colher de café)

 

DETERGENTE PARA O CHÃO DE CERÂMICA e LOUÇAS SANITÁRIAS (com lixívia ou água oxigenada)

Meio balde de água

lixívia ou água oxigenada (+- o equivalente a duas chávena de café)

detergente da louça (+- o equivalente a uma colher de café)

 

https://descontos.blogs.sapo.pt/3420002.html

Detergente para a máquina da louça

louca.jpg

Se lêm o blog da Ariana, devem ter-se cruzado com o post a que ela chamou “Um exemplo a não seguir” em que conta o que aconteceu quando decidiu ser criativa e colocou detergente manual na máquina da louça.

 

Porém, quando as minhas pastilhas para a máquina acabaram muito recentemente, na falta de promoção procurar uma alternativa económica e rápida. Encontrei o post de Binkies & Briefcases e segui as instruções: 1 pitada de detergente manual e 1 pitada de bicarbonato de sódio. 

 

E não é que lavou mesmo? E sem os efeitos secundários que a Ariana teve.

 

Devo aqui alertar para o facto de se ter tratado de louça acabada de usar ou pouco suja: aqueci caldo verde (panela, tijela, etc) e tinha louça de pequeno almoço ou lache. Vou continuar a testar, mas já fiquei convencida que é, no mínimo, uma excelente receita de recurso.

 

Sou menina para aditar vinagre no depósito do abrilhantador e outras experiências.

 

Também decidi experimentar as pastilhas da Auchan. Para já estou satisfeita.

pastilhas.JPG

 

 

 

 

https://descontos.blogs.sapo.pt/2220468.html