Sobre pesticidas e produtos biológicos – vegetais e frutas

Frequentemente, nas nossas compras, temos de fazer escolhas, preço vs. qualidade, é uma dessas escolhas. Será inevitável considerar que – no que respeita a frescos – o produto biológico será sempre a melhor opção. 

 

Todavia, a generalidade das pessoas não terá como comprar apenas produtos biológicos, já que o seu preço é bastante superior aos restantes. Ficamos assim sujeitas/os a pesticidas, adubos e demais produtos.

 

Acresce, acredito que – num sistema em que o controlo dos bens alimentares existe – as vantagens de uma alimentação rica em vegetais e fruta, ultrapassam os riscos de resíduos de pesticidas. 

 

Apenas encontrei dados europeus, reportando-se a análises de 2010 pela EFSA (Autoridade Europeia de Segurança Alimentar), mas provavelmente os mais recentes não divergir em muito.

 

De entre os produtos (frutos/vegetais/cereais) com maior percentagem de resíduos que ultrapassavam os limites máximos legais, estão:

  • aveia
  • alface
  • morangos
  • pêssegos
  • maçãs
  • peras
  • tomates
  • alho francês
  • repolho
  • centeio

 

É habitual encontrarem publicações denominam estes produtos por produtos sujos, querendo com isso dizer que são aqueles com maiores concentrações de produtos químicos.

 

Para ficarem com uma ideia, no referido relatório foram encontrados:

  • 328 tipos de pesticidas diferentes em vegetais
  • 301 tipos de pesticidas diferentes em frutas e frutos secos
  • 88 tipos de pesticidas diferentes em cereais

Não quero, todavia, ser alarmista. Em 97,2% das amostras analisadas, os valores estavam abaixo dos limites legais. E a probabilidade estatística aponta que, quando os limites são ultrapassados, isso é mais provável acontecer em produtos vindos de fora da União Europeia (7,9% contra 1,5%).

 

Outro resultado interessante está relacionado com os produtos que reúnem em si múltiplos resíduos químicos/pesticidas:

  • 62,8% dos citrinos;
  • 60,5% dos morangos.

Sem prescindir que este post trata apenas de frutos e vegetais, não resisto a contar que 95,7% das amostras de fígado possuíam 2 ou mais pesticidas.

 

 

Mas, também é necessário ter cuidado com a veracidade da denominação “biológico”. Com efeito, 131 pesticidas diferentes foram encontrados em produtos ditos biológicos. E desses, 25 nem são admitidos na produção biológica.

 

Não desejo de todo fazer aqui a apologia do produto biológico para todas as panaceias. Comam bem, dentro das vossas possibilidades finaceiras.  Mas não resisto a lançar à discussão e talvez desafiar a que, por exemplo, plantem as vossas alfaces e morangos.

 

Sabiam que existe uma “alface de inverno”? Eu tenho comido alface caseira todas as semanas (sem estufas). 

 

 

https://descontos.blogs.sapo.pt/1370392.html

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *